Pedagogia Waldorf

Pedagogia Waldorf

1 – O que é o Ensino Waldorf?
Desenvolvido por Rudolf Steiner em 1919, o ensino Waldorf baseia-se em uma abordagem que trata das necessidades e do desenvolvimento da criança em crescimento e do adolescente na fase de amadurecimento. Os professores Waldorf empenham-se em transformar o ensino em uma arte que eduque a criança como um todo – o fazer, o sentir e o pensar.
2 – As escolas Waldorf são religiosas?
As escolas Waldorf não são sectárias e não se denominam religiosas. Elas educam todas as crianças, não importando seus contextos culturais ou religiosos. O método pedagógico é amplo e, como parte de sua tarefa, procura trazer o reconhecimento e a compreensão de todas as culturas e religiões do mundo. As escolas Waldorf não fazem parte de nenhuma igreja. Elas não estão ligadas a nenhuma doutrina religiosa em particular, mas baseia-se na crença de que há uma dimensão espiritual para o ser humano e para tudo na vida. As famílias Waldorf são oriundas de uma ampla gama de tradições e interesses religiosos.
3 – O ensino Waldorf prepara as crianças para o mundo “real”? De que forma?
Somos certamente influenciados por aquilo que o mundo nos traz, mas o fato é que o mundo é configurado pelas pessoas e não as pessoas pelo mundo. Porém, essa configuração do mundo só é possível de uma forma saudável se as pessoas estiverem de posse de sua natureza total como seres humanos.
O ensino em nossa sociedade materialista foca no aspecto intelectual do ser humano e não valoriza as outras partes que são essenciais para o nosso bom desenvolvimento, que são: a nossa vida de sentimentos (emoções, estética e sensitividade social), nossa força de vontade (a habilidade para fazer as coisas) e nossa natureza moral (ser transparente sobre o certo e o errado). Somos incompletos sem a visão do desenvolvimento integral do Ser Humano. Para isso, numa escola Waldorf os assuntos práticos e artísticos desempenham um papel tão importante quanto à gama total de assuntos acadêmicos tradicionais que a escola oferece. O prático e o artístico são essenciais para se conseguir o preparo para a vida no mundo “real”.
O Ensino Waldorf reconhece e respeita a extensão total das potencialidades humanas. Ele trata da criança como um todo se empenhando em despertar e enaltecer todas as capacidades latentes. As crianças aprendem a ler, escrever e fazer contas; estudam história, geografia e ciências. Além disso, todas as crianças aprendem a cantar, tocar um instrumento musical, desenhar, pintar, modelar argila, esculpir e trabalhar com madeira, falar claramente e atuar em uma peça, pensar independentemente, e trabalhar de forma harmoniosa e respeitosa com outras pessoas. O desenvolvimento destas diversas capacidades está inter-relacionado. Por exemplo, tanto os meninos quanto às meninas aprendem a tricotar no primeiro ano. A aquisição desta habilidade básica e prazerosa os ajuda a desenvolver uma destreza manual que, após a puberdade, será transformada em uma habilidade para pensar claramente e “tricotar” seus pensamentos em um todo coerente.
O Ensino Waldorf tem como ideal uma pessoa que seja informada sobre o mundo e sobre a história e cultura humana, que tenha muitas habilidades práticas e artísticas, que sinta uma reverência profunda e uma comunhão com o mundo natural, e que possa agir com iniciativa e em liberdade perante as pressões econômicas e políticas. Há muitos alunos de todas as idades, formados em escolas Waldorf , que personificam este ideal e que são talvez a melhor prova da eficácia do ensino. A preparação para a vida inclui o desenvolvimento de pessoas com v ários atributos e que se completam atrav és das suas relações com o mundo todo.
4 – Por que as escolas Waldorf ensinam a ler tão tarde?
Cada criança é um individuo diferente e os pais de vários filhos sentem isso com certeza. Devemos respeitar o caminho de cada uma, valorizando as capacidades individuais. Podemos ver que crianças saudáveis que aprendem a ler mais tarde não são prejudicadas por isso, ao contrário, elas são capazes de rapidamente alcançar as crianças que aprenderam a ler mais cedo. Respeitando a velocidade de cada uma, elas não irão desenvolver o “cansaço pela leitura e aprendizado”, que muitas crianças que aprenderam a ler muito cedo vivenciam mais tarde. Algumas crianças, por si próprias, irão querer aprender a ler cedo e esse interesse pode ser atendido desde que venha, de fato, da criança e não estimulado pelos adultos.
Alguns pais ficam ansiosos quando percebem que seus filhos estão lentos na aprendizagem. Toda criança tem seu momento certo para “decolar”. Muitas vezes a ansiedade dos pais é assimilada pela criança. É importante que os pais saibam lidar com suas próprias apreensões e com as de seus filhos. O crescimento e o desenvolvimento humano não ocorrem de uma forma linear e nem podem ser medidos. O que vive, cresce e existe na vida humana só pode ser entendido com aquela mesma faculdade humana que pode entender as leis etamórficas invisíveis da natureza viva.